Anjos da Hospitalidade nasce buscando o nicho de eventos fúnebres

Uma das poucas certezas da vida de todo ser humano é sua morte. Eventos fúnebres é uma industria que carece de bons fornecedores. A Anjos da Hospitalidade nasceu para incrementar o setor.

REDAÇÃO DO DIÁRIO DO TURISMO

Um momento que chegará certamente para todas as pessoas é a morte. Etapa delicada e triste principalmente para os envolvidos no processo de despedida da pessoa falecida. Diante disso, muitas empresas atuam para confortar o sofrimento: o chamado nicho de eventos fúnebres. No Brasil, é um segmento pouco atendido e que precisa, cada vez mais, de especialização por parte de seus fornecedores.

O mercado funerário no Brasil fatura em torno de R$ 7 bilhões por ano, com a operação de aproximadamente 5,5 mil funerárias, mil cemitérios privados e 90 crematórios, que empregam de forma direta mais de 50 mil pessoas segundo informações do Sindicato dos Cemitérios Particulares do Brasil (Sincep). Diversos outros negócios ajudam a movimentar este mercado, como floriculturas, transportadoras, indústrias de velas, caixões e urnas.

De olho nessa fatia de mercado, as empresárias Andréa Nakane e Shirley Salazar resolveram investir pesado na criação da Anjos da Hospitalidade com o intuito de prestar um serviço tão necessário e, ao mesmo tempo, acalentador. As sócias já estão juntas há dez anos na empresa Mestres da Hospitalidade, atuando com eventos corporativos e culturais.

A ideia surgiu exatamente por uma autovivência, já que há 15 anos, eu mesma, como uma boa organizadora de eventos, redigi o roteiro de minha cerimônia fúnebre, indicando tudo o que gostaria que fosse concretizado após a minha passagem, incluindo textos de leitura, repertório musical, local de acolhimento das minhas cinzas, entre outras especificidades, que tenham a minha cara, o meu estilo“, disse Andréa Nakane ao DIÁRIO. “Desde então, eu e a Shirley, começamos a pesquisar o mercado e descobrimos um nicho inexplorado. Uma grande demanda e não só para roteirização, mas execução, exposição, eventos, missas, despedida das cinzas, etc” complementa a carioca Nakane.

A assessoria de eventos fúnebres contempla muito mais que a escolha de urnas, flores, velas ou local do sepultamento/cremação. Com foco na resolução empreendedora, a Anjos da Hospitalidade irá oferecer serviços diferenciados na assessoria de velórios, sepultamentos e ritos posteriores, como missas, cultos, cerimônias de despedida das cinzas e leituras de testamento, acompanhamento total aos familiares fragilizados, viabilização do velório virtual, livros de condolências, formatação de eventos posteriores conforme a crença religiosa e desejos dos próprios falecidos.

A fragilidade que vem com a morte, muitas vezes, abala tanto os que ficam, que os impossibilitam de tomar providências cruciais para que esse momento não seja ainda mais difícil, a emoção está à flor da pele… ficamos totalmente vulneráveis… sem saber até o que fazer, como fazer. E para isso estaremos aqui, prestando um serviço de muita compaixão e colaboração para que toda a família, realmente, consiga despedir-se plenamente daquele que lhe foi tão estimado” afirma Shirley Salazar.

Serviço funerário em São Paulo

Para ter dimensão do segmento de eventos fúnebres, somente a capital paulista tem uma área especial para cuidar do segmento, que, neste caso, vai além dos eventos. É o Serviço Funerário do Município de São Paulo (SFMSP), responsável pela gestão e administração de 22 cemitérios municipais, um crematório, 12 agências de contratação de serviços funerários e 114 salas de velórios, distribuídos em todas as regiões da cidade. Fiscaliza, ainda, 20 cemitérios particulares.

Escultura em túmulo no Cemitério da Consolação. (Foto: Caio Pimenta/SPTuris)

O SFMSP funciona 24 horas por dia e tem cerca de 1.200 funcionários, responsáveis pelo atendimento humanizado de cerca de 2,5 milhões de pessoas impactadas por este serviço por ano. Só em 2015, faleceram 86.140 pessoas; destas, 77.053 foram atendidas pelo Serviço Funerário Municipal. Ao todo, os cemitérios públicos de São Paulo representam 3,6 milhões de m² de áreas verdes, o que representa a segunda maior área verde da capital paulista.

O lançamento oficial da Anjos da Hospitalidade aconteceu estrategicamente no dia 1º de março, quarta-feira de Cinzas no calendário cristão. Uma data bastante oportuna para fixar a importância de bons fornecedores no setor

 

Serviço:

Anjos da Hospitalidade: anjosdahospitalidade@uol.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s